sexta-feira, Julho 17, 2009

Pequeno Pintor 2006

Pequeno Pintor é a aposta da Sociedade Agrícola da Sossega.
A versão do ano 2006 é feita a partir de trincadeira e aragonêz que estagiaram 6 meses em barricas de carvalho Allier e 8 em garrafa.
Tem aromas frescos que se conjugam com a fruta vermelha e ameixas.
É um vinho gostável pronto a beber.

Anselmo Mendes curtimenta 2007

Segunda edição.
100% alvarinho.
Tudo feito à moda antiga.
Uma caixinha de surpresas que vale a pena abrir.
Estagiou durante 9 meses em barricas usadas e outros 6 em garrafa.
De cor citrina e aromas intensos de fruta madura associam-se às notas florais tão características da casta alvarinho.

Quinta da Alorna as novas bicastas

Touriga e cabernet conjugam-se fazendo deste reserva um tinto elegante e fino na boca. A madeira está bem integrada e a acidez não é evidente.
Aguenta muito bem pratos de carne assada no forno como o cabrito ou o borrego.

Arinto e chardonnay vindimadas em 2008 fermentaram separadamente: arinto em cubas de inox e chardonnay em barricas novas de carvalho francês seguido de estágio sobre borras finas. É um bom acompanhamento para saladas com maionese ou para peixes mais gordos.

Quinta Carvalhais colheita tardia 2007

A Quinta dos Carvalhais dá cartadas muito sólidas quando falamos de colheitas tardias.
A edição de 2007 não é excepção.
Tem como base a casta nobre dos famosos sauterne, semillon, vindimada nos finais de Outubro.
Equilibrado no aroma de onde sobressaem a casca de laranja e os frutos tropicais e o mel. Já na boca a fruta vincada acompanha a acidez e o final elegante e persistente.

Ferreira 10 anos branco

Tem um aroma intenso com notas de frutos tropcais e especiarias tiradas do envelhecimento em madeira e na boca sente-se a frescura com um final persistente.
Predominam aqui a malvasia fina, a códega, o rabigato e o gouveio.
Pode ser um excelente aperitivo mas também acompanha foie-gras ou queijos intensos.

sexta-feira, Julho 03, 2009

Vale d`Algares colheita tardia


Mais uma referência de colheita tardia que chega ao mercado.
Desta feita pela mão do enólogo Pedro Pereira que dá forma ao Vale d`Algares colheita tardia, resultado da casta viognier.
Na cor é o amarelo com laivos esverdeados que se impõe e na boca encontramos equilíbrio entre fruta e acidez.
Um tardio bem conseguido.

Redoma 2008


Mais expressivas neste vinho temos rabigato, codega do Larinho, donzelinho, viozinho e arinto.
Fermentou e seguidamente estagiou 9 Meses em barricas de carvalho francês.
De mineralidade e notas cítricas de faz o aroma, o alperce e amêndoas completam a boca com frescura e madeira bem integrada.

Guarda Rios 2007


Syrah (50%), touriga nacional (20%), aragonês (15%), merlot (15%) são a matéria prima deste ribatejano que estagiou 9 meses em barricas maioritariamente de carvalho francês.
É intenso na cor e no aroma as notas de chocolate e cacau com fruta vermelha madura e especiarias.
Na boca é volumoso e com notas de chocolate preto, café e moca.
Beba-o com pratos de carne ou caça e com queijos fortes.

quarta-feira, Julho 01, 2009

Quinta do Vesúvio - os DOC Douro


São novidade nova!
Pleonasmos à parte, estes são os dois Doc que a Quinta do Vesúvio acaba de lançar.
O Quinta do Vesúvio é feito a partir das castas touriga nacional(70%), touriga franca(20%) e tinta amarela(10%).
Concentração, intensidade e complexidade são as características vincadas neste tinto que estagiou 10 meses em carvalho francês.
.
O Pombal do Vesúvio tem as mesmas castas sendo que a predominante é a touriga franca.
Um tinto com carácter mais imediato e mais gostável.