quarta-feira, Maio 19, 2010

Vale do Tua 2007

A Casa de Agrellos lança este tinto de 2007 que dá pelo nome de Vale do Tua.
É a fruta vermelha madura que sobressai neste tinto. A ela associa-se a elegância e estrutura correctas com um final longo e persistente.
sedoso.

Quinta da Foz de Arouce

As vinhas velhas de Santa Maria são a causa das coisas neste tinto.
Este baga da Quinta de Foz de Arouce fermentou em cubas de inox ao que se seguiu uma longa maceração.
Estagiou 14 meses em pipas de carvalho francês e resultou que no aroma estão presentes a ameixa e frutos vermelhos e na boca a estrutura e a acidez típica da casta associam-se a um final longo e persistente.

Baga e touriga nacional.
Este tinto de 2007 estagiou 6 meses em pipas de carvalho francês e português de primeiro e segundo anos.
Com concentração aromática e frutos vermelhos.
É equilibrado e persistente na boca.

Quinta do Cidrô

Neste sauvignon blanc há aromas de groselha verde e melão. Na boca há frescura e leveza.
Um branco limpo e com um final de boca persistente.

No caso deste chardonnay, fermentado em barricas novas de carvalho e estagiado seis meses em contacto com as leveduras, encontramos dimensão na boca e no aroma.
É um branco complexo que na boca exibe notas de pêssego e alperce, madeira torrada e especiarias.

DODA 2007

Touriga franca, touriga nacional, tinta roriz, tinta amarela e tinto cão plantadas em duas regiões nobres. O Douro oferece solos xistosos e o Dão a base é granítica com areia ou barro.
Fermentou em lagar, cuba e balseiro e estagiou 20-22 meses em barricas de carvalho.
É um vinho com grande longevidade que no aroma tem notas especiadas, na boca a acidez está bem presente e associa-se à mineralidade e estrutura.

Casa Santos Lima

Chardonnay é sinónimo de frescura e untuosidade.
Não é aqui excepção.
Um branco equilibrado e mais que pronto para acompanhar os dias de calor que vêm aí.
A Casa Santos Lima continua a produzir vinhos com relação qualidade-preço bastante apetecíveis.
Este sauvignon blanc é um branco harmonioso e fresco.
Há aqui elegância e fruta.

Vila Santa branco 2009

É com antão vaz, arinto e verdelho que se faz este branco, já na sua segunda edição.
Fermentou parcialmente em barricas novas de carvalho francês e o restante fermentou em barricas de inox.
No aroma são os citrinos quem mandam e na boca é fresco, mineral e elegante.

terça-feira, Maio 04, 2010

Invisível & Conde D`Ervideira

Invisível é a mais recente novidade deste produtor.
Trata-se de um branco de uvas tintas que é conseguido a partir da lágrima de uvas tintas da casta aragonês.
A vindima foi feita de noite.
Uma curiosidade...
Antão vaz estagiou em barricas novas de carvalho Francês seguindo-se um período de “batonnage”.
Frutos tropicais, especiarias e baunilha são as características mais marcantes no nariz e na boca o veludo e a untuosidade associam-se a uma acidez equilibrada e taninos suaves e sedosos.
O produtor sugere este vinho para acompanhar pratos de peixe fumados e escabeche de perdiz.

Pedra Basta 2007

É a partir das castas Trincadeira, Aragonês, Alicante Bouchet, Cabernet Sauvignon que Rui Reguinga fez este 2007 que fermentou em cubas “tronco-cónicas” e lagares seguindo-se a maceração prolongada de 4 semanas.
Um tinto complexo no aroma e com notas de fruto vermelho maduro. Na boca é equilibrado, suave e fresco.